<listing id="vpfj7"><meter id="vpfj7"><ins id="vpfj7"></ins></meter></listing><menuitem id="vpfj7"></menuitem>

<noframes id="vpfj7"><thead id="vpfj7"></thead>
    <track id="vpfj7"><thead id="vpfj7"></thead></track>

<dfn id="vpfj7"><dfn id="vpfj7"><i id="vpfj7"></i></dfn></dfn>
<track id="vpfj7"><thead id="vpfj7"></thead></track><meter id="vpfj7"></meter>

<sub id="vpfj7"><meter id="vpfj7"></meter></sub>

<meter id="vpfj7"></meter>

<thead id="vpfj7"></thead>
    <progress id="vpfj7"></progress>

        Visita de Bolsonaro a Beijing confirma a normalidade das rela??es sino-brasileiras

        Fonte: Diário do Povo Online    18.10.2019 08h51

        Por José Medeiros da Silva e Diego Vinícius Martins

        A vitória de Jair Bolsonaro trouxe muitas incertezas sobre qual seria o destino das rela??es sino-brasileiras durante o seu mandato. Porém, desde a sua elei??o, as incertezas v?o sendo dissipadas e substituídas por diversas atitudes construtivas, como a vinda do vice-presidente Hamilton Mour?o à China em maio deste ano; a reativa??o da Reuni?o da Comiss?o Sino-Brasileira de Alto Nível de Concerta??o e Coopera??o; o apoio do Brasil ao candidato chinês Qu Dongyu para diretor-geral da Organiza??o das Na??es Unidas para a Alimenta??o e a Agricultura; a Reuni?o informal de líderes do BRICS à margem da Cúpula do G20, em junho, em Osaka, no Jap?o; a III Reuni?o do Diálogo Estratégico Global Brasil-China realizada em Brasília 25 de julho; a normalidade no fluxo comercial, etc. Nos dias 24 e 25 de outubro de 2019 será a vez do presidente brasileiro visitar a terra de Confúcio para se reunir com o presidente Xi Jinping e outras autoridades chinesas e, assim, aprofundar esse processo de diálogo.

        Aliás, a progressividade harmoniosa é o que melhor define o avan?o dessa parceria desde que os dois países estabeleceram suas rela??es diplomáticas em 1974. Fundamentado no respeito-mútuo e na busca de interesses convergentes, o diálogo sino-brasileiro tem sido a base com a qual essas rela??es conseguiram dar saltos t?o expressivos ao longo desses 45 anos. Nesse sentido, essa visita do presidente Jair Bolsonaro deve refor?ar ainda mais esse legado e abrir novas oportunidades para o avan?o dessa parceria.

        O que a administra??o Bolsonaro busca com essa primeira viagem é aparar possíveis arestas e demonstrar que o Brasil tem uma posi??o mais pragmática nas suas rela??es comerciais. Pelo menos foi isso que o presidente e seus ministros declararam durante o Brazil Investment Forum 2019, realizado em S?o Paulo nos dias 10 e 11 de outubro.

        No referido evento, altos membros da administra??o federal buscaram mostrar que o Brasil está se esfor?ando para aumentar sua competividade, diminuir barreiras e facilitar os negócios e os investimentos no país. Na plateia do evento, empresários brasileiros e estrangeiros, muitos deles chineses, puderam ouvir do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que o Brasil apoia todo aquele que deseje investir e gerar emprego no país. Onyx, que provavelmente estará na China acompanhando o presidente Bolsonaro, é hoje responsável pela Secretária do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), pasta responsável por levar a cabo o maior processo de privatiza??o e concess?o da história.

        No mesmo Forum, ao falar dos seus esfor?os para atrair investimentos, o presidente Jair Bolsonaro lembrou que “quanto à nossa querida China, mesmo que eu tenha sido muito criticado durante a campanha presidencial de 2018 por minhas posi??es sobre a China, a campanha (eleitoral) já acabou,” ressaltando ainda que o país é o maior parceiro comercial do Brasil.

        Durante esta visita à China, a delega??o brasileira buscará alcan?ar três objetivos: diversificar sua pauta da balan?a comercial, atrair investimentos para seus projetos de infraestrutura e aumentar a coopera??o na aérea de pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

        Com essas a??es práticas, o Brasil procura transmitir uma mensagem clara de que o país n?o toma partido contra a China, assim como n?o discrimina suas empresas e cidad?os que desejem investir e trabalhar no país. Além do mais, o governo brasileiro espera que a China mantenha e fortale?a seus projetos de parcerias e de coopera??o econ?mica, buscando alcan?ar o desenvolvimento mútuo e harmonioso dos dois países.

        Como grandes países em desenvolvimento, a confirma??o dessa normalidade nas rela??es é fundamental para se impulsionar ainda mais o fluxo econ?mico, motivar novos investimentos e, sobretudo, contribuir para a constru??o de um ambiente internacional favorável à paz e à prosperidade material dos povos.

         

        (José Medeiros da Silva é doutor em Ciência Política pela Universidade de S?o Paulo e professor na Universidade de Estudos Internacionais de Zhejiang, na China

        Diego Vinícius Martins é bacharel em Rela??es Internacionais e Mestre em Desenvolvimento Chinês Contemporaneo pela Universidade Normal de Beijing)

        (Web editor: Renato Lu, editor)

        0 comentários

        • Usuário:
        • Comentar:

        Wechat

        Conta oficial de Wechat da vers?o em português do Diário do Povo Online

        Mais lidos

        安卓手机棋牌官网